Jaime Arôxa


Professor, bailarino e coreógrafo.

Desde cedo demonstrou sensibilidade artística e vocação para a dança. Contudo, foi na década de 80, quando mudou-se em definitivo de Recife para o Rio de Janeiro que descobriu a dança de salão por intermédio da mais antiga professora, Maria Antonieta. Já como profissional, criou sua própria metodologia do ensino da Dança de Salão destacando a expressão dos sentimentos pelo movimento, respeito de si próprio e a busca de conhecimento maior sobre o outro.

Em 1986, montou sua própria escola, pela qual já passaram mais de 24 mil alunos. Paralelamente a sua vida de professor, à qual se dedica 12 horas por dia, sete dias por semana, Jaime Arôxa, passa os dias a coreografar peças, filmes, novelas, shows, ampliando cada vez mais o seu trabalho com um olhar mais abrangente para toda a cena do movimento humano.

Criada em 1985, a escola começou com o nome de Escola de Dança Chiquinha Gonzaga. Posteriormente, mudou de nome e passou a homenagear Maria Antonieta, professora de Jaime Arôxa.

Em 1986, já com 8000 alunos, tornou-se oficialmente a Escola de Dança e Centro Cultural Jaime Arôxa - de acordo com alguns "UM PEQUENO PARAÍSO NO MEIO DA SELVA DE PEDRA CARIOCA".

Pioneiro na arte de ensinar Dança de Salão, formou dezenas de professores e milhares de alunos, além de atuar em todas as áreas da dança (cinema, teatro, coreografias e eventos).

Jaime Arôxa é conhecido por todos os Estados do País, possuindo escolas em outras 4 localidades do Brasil;

É um ícone da Dança de Salão do Brasil, sendo seu nome o número 1 entre os dançarinos e coreógrafos.

 
  
"Num momento em que as pessoas estão
 buscando alternativas para a solidão, a dança 
é a grande resposta. Quem dança é mais feliz, 
disso não tenho dúvida!"